25 de abr de 2013

O DJ - Choque eletrônico por Toni Brandão

Alice vai para uma balada e lá as coisas mais incríveis acontecem. Como é que personagens desaparecem? E por que antes de sumirem estes personagens, poucos minutos depois de estarem ali, afirmam que nunca haviam conhecido a garota antes? De repente um grande segredo é revelado (ou um pouco revelado): será que a aventura pode continuar num novo romance?

Autor: Toni Brandão
Editora: Planeta Jovem
ISBN: 9788542201079
Páginas: 208
Nota: 
Comprar

Eu estou longe de ser uma pessoa baladeira. Tipo assim: um abismo de distância mesmo. Não vou explicar o que não me atrai nesse cenário (a não ser que você tenha horas pra se dedicar em me escutar). Mesmo assim, ainda considero que seja uma boa atmosfera para livros jovem adulto. Talvez seja meu forte lado Shadowhunter dizendo que os plots mais incríveis podem começar aí, e acredito de verdade que, se o autor souber conduzir, a luz negra e uma batida eletrônica podem ser um belo ponto de partida. Mesmo não tendo lindos garotos tatuados matando um demônio de cabelo azul...

O problema aqui é que não sei o que falar que não seja spoiller. O DJ - Choque eletrônico é um livro pra lá de confuso. A protagonista é Alice, que após um acidente de carro (do qual sai viva, arrumada, com maquiagem nada borrada e postura de Charlie's Angel enquanto o carro explode as suas costas), vai direto para uma boate. Lá ela começa a ser assediada por praticamente todos os garotos do lugar, no maior estilo BRIC (um brasileiro, um russo, um indiano e um chinês). 

O desenvolvimento do livro é Alice fugindo de um até o outro, perdida e sem saber o que está acontecendo. Mina, uma garota que conhece lá mesmo e se torna sua melhor amiga, é outra que não colabora para o leitor entender o que está acontecendo. Quase todos os personagens largavam uma frase de efeito para a confusa Alice, que, querendo ou não, aumentava demais o efeito dramático e misterioso do livro. A trama não faz sentido, mas prende.

Li o livro em uma tarde, mas de certeza, o autor levou bem mais tempo para escrever. Aí está. Eu terminei a história com o começo ainda muito vivo na lembrança. Talvez para Toni Brandão, que deve ter levado meses para terminar, alguns detalhes apresentados nos primórdios da narrativa tenham passado despercebidos. Começo, meio e fim não fazem sentidos se colocados lado a lado. Talvez seja um detalhe de lógica que peque na protagonista. Talvez ela tenha memória seletiva e extremamente curta. Contudo, Alice não me convenceu. O que levou a terceira estrela do livro foi a explicação final, que apagando todas as pistas anteriores, é algo interessante.

É confuso? É. Faz sentido? Na maior parte do tempo, não. Vale a pena? Talvez. Não vou negar que O DJ - Choque eletrônico tenha potencial, mas o problema é que isso tudo só foi apresentado no final e dê certo só se você fizer a Alice e escolher o que lembrar. Mina, os garotos BRIC, o cenário, tudo fica irrelevante quando você passa a entender o que realmente está acontecendo ali. Existe uma abertura monstro pra uma suposta continuação, mas não acredito que ela vá existir. Esse livro tem cara de único. O suspense no final tem cara de que o objetivo seja assombrar o leitor pro resto da vida. Lamento, mas não perdi o sono.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

6 comentários:

  1. Já tentei ler um livro do Toni Brandão, Muito mais Romântico, mas não consegui! Achei o livro um tanto confuso, não gostei das atitudes do protagonista e o estilo da história não me convenceu. Até que esse eu toparia ler, achei legal a sinopse e a resenha.

    Beijos
    Lucas

    ResponderExcluir
  2. esses livros confusos me tiram do sério...
    não tenho tempo para ficar vidrada em um livro por muito tempo, ai acabo me perdendo no meio da história e largando mão!
    esse com certeza desistiria nas primeiras páginas ;x

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei muito da sinopse e do começo da resenha, até chegar no demonio azul??? Eu sou uma pessoa confusa e me perderia lendo esse livro, teria q voltar na leitura várias e várias vezes o q me faria perder o interesse. Não leria o livro, por agora, quem sabe daqui a um tempo, pq realmente gostei da sinopse!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaynara! Calma, não tem demônio de cabelo azul nesse livro - longe disso, até. haha É uma referência à Cidade dos Ossos, que começa numa boate com o tal demônio ;) Obrigada pelo comentário! Bjs

      Excluir
  4. Não curti o livro, não é bem o que eu procuro. Não sou baladeira, assim como você, e tenho milhões de motivos para isso... Além disso, você disse que o livro é confuso, e de confuso já bastam meus pensamentos. Acho que passaria um mês pra ler esse livro, porque quando não gosto de um livro é uma tortura para eu terminá-lo, já que não gosto de largar.
    Acho que não leria. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Fico me perguntando da onde você tira esses livros que eu nunca vi na vida, rs. Não despertou minha curiosade não. Não gosto do titulo, não gosto da capa, e apesar da sua resenha muito bem escrita (como sempre, dur!), não gostei da estória/tematica/não-sei-como-chamar :(

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!