31 de mar de 2012

Estilhaça-me por Tahereh Mafi

Estilhaça-me

Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219909
Páginas: 302
Nota: 

Quando menor, eu era fascinada por desenho animado. Adorava os "acessórios" das Três Espiãs Demais, os figurinos da Barbie, o telefone das Meninas Super Poderosas, os mistérios óbvios do Scooby Doo, a ação dos mutantes do X-Men. Quem nunca? A gente cresce, fica sem tempo - e sem paciência - para os apresentadores programas infantis, e acaba não olhando mais. Mas ainda existe aquela curiosidade, e é legal quando a literatura traz histórias semelhantes aquelas. Estilhaça-me é comparado com X-Men, Juliette é como a Vampira/Rogue, e... Comparações não são legais.

Juliette é poderosa, mortífera, excluída da sociedade e dada como louca. Por 264 dias, ela vive sozinha em uma cela escura, sem ouvir a voz de ninguém, muito menos ver a luz do dia. Seu toque pode matar pessoas, e já matou. Ela não quer ser assim, como poderia? De repente, o manicômio lhe permite um companheiro de cela: Adam, tão estranhamente familiar para ela. Ele não está ali por acaso. Nada é por acaso.

Estilhaça-me é um livro confuso. A autora se preocupa tanto em descrever poeticamente situações na vida de Juliette, sensações, visões, pensamentes e qualquer minimo detalhe, que se esquece do principal: o poder da protagonista. Em 300 páginas, tenho a sensação que pouco sei sobre o toque mortal de Juliette, de suas capacidades e o perigo que apresenta. 

Além disso, sai da história com a impressão que o livro é literatura distópica. Isso mesmo: impressão. Como é em primeira pessoa, e a protagonista não conhece nada do mundo, não dá para ter uma visão maior da sociedade, que permitisse tirar uma conclusão melhor. O mundo que Juliette conhece é cruel, problemático, e com um governo dominador. Claro, supondo que Warner seja do governo. Supondo que isso afete só pessoas com capacidades especiais.

Os personagens secundários são interessantes, mais amplos que a personagem principal. Adam, suposto herói, é fofo e inteligente. Não sei por que, mas liguei muito os dois à Rose e Dimitri de Vampire Academy. E, posso falar? Gostei bastante do vilão, Warner. Acho que o problema dele é a visão por Juliette - uma grande bipolar, se me permite -, seria tão mais interessante suas cenas narradas por ele mesmo. Uma visão psicótica seria tão mais cativante. #aloka

É bom, mas cheio de coisinhas que poderia melhorar. A protagonista não é das melhores, mas dá sinal que no próximo livro vai melhorar. Se a história seguir no ritmo que terminou: ótimo, muito bom. A diagramação tá muito linda, com detalhes de estilhaços entre os capítulos. Os direitos pelo filme foram comprados pela FOX, o que assusta muito depois do que fizeram com Percy Jackson. Mas tem que esperar, né? Recomendo se você está procurando uma trilogia diferente, e não se importe de esperar mais de um lançamento para a coisa engrenar.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

30 de mar de 2012

Sorteio: A invenção de Hugo Cabret

Como eu sou uma pessoa muito legal (e modesta!), resolvi ajudar vocês a conseguirem um dos livros mais desejados do momento (segundo o Submarino): A invenção de Hugo Cabret, de Brian Selznick (resenha). Quem quer? :D
Regras:
  1. Ser seguidor público do blog;
  2. Comentar nesse post validando a participação;
  3. Ter endereço de entrega no Brasil;
  4. Preencher corretamente o formulário clicando aqui.
Chances Extras:  
Preencher o formulário novamente a cada condição atendida.
#SORTEIO A @GirliePoderosa e a @Larousse_BR vão me ajudar a descobrir A invenção de Hugo Cabret! http://migre.me/8u7uw
A promoção vai até as 23:59h do dia 30/04. E continue por aqui para conferir as próximas promoções que estão por vir... Quem sabe daqui a três seguidores não vem novidade por ai?! #ficadica Boa sorte!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

29 de mar de 2012

O melhor de mim por Nicholas Sparks

O melhor de mim

Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre. Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo - e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410495
Páginas: 270
Nota: 

E então, Nicholas Sparks me prova que sabe escrever um romance. Claro, eu já li vários de seus livros famosíssimos, mas nunca tinha entendido o por quê da veneração que as pessoas tem com ele. Isso até pegar O melhor de mim, realmente o melhor de Nicholas Sparks (sacou o trocadilho?). Finalmente, me emocionei com seu livro praticamente como é com os filmes baseados neles, que me fazem chorar pacas (cof Um Amor para Recordar cof). 

Amanda e Dawson são de mundos diferentes, mas criam um no outro uma dimensão paralela a tudo e a todos. Enquanto ela vem de uma família rica e poderosa, Dawson é parte de uma linhagem de criminosos: ladrões, assassinos, pilantras. As peças do destino acabam separando o casal apaixonado ainda na adolescência e cada um segue seu caminho, até 20 anos depois, quando Tuck, um amigo em comum, morre. Responsáveis por toda a burocracia fúnebre, eles se reencontram - seria o destino capaz de apagar o tempo? O presente apagar o passado?

A mistura de Malhação com Nicholas Sparks funcionou como nenhuma temporada da novela, nem nenhum romance do autor já tenha funcionado. O romance entre a garota rica e o garoto pobre, as peças pregadas pela vida, e toda aquelas características já comuns nos livros do Nicholas combinaram, os clichês se tornaram meros elementos para deixar a história mais emocionante... Funcionou... Muito. Acho que encontrei o novo roteirista da Globo!

Dawson nunca foi como o resto da família, mas não teve como fugir do peso do seu sobrenome. Ele cresceu sendo espancado por seu pai e primos, sendo encarado como criminoso sem nunca ter feito nada de errado. Amanda era, ao mesmo tempo, uma certeza e uma surpresa em sua vida. Só que as coisas pareciam ir contra os dois, e terminar o romance foi inevitável. Depois disso, ele foi preso, saiu da cidade... Já Amanda, linda, rica, popular, foi para a faculdade, casou, teve três filhos (quatro, porém uma morreu ainda muito nova) e tocou sua vida. Foram caminhos diferentes que se cruzaram por uma morte...

Nicholas conduziu a história num ritmo perfeito. No inicio, o presente se mistura com flashbacks do que aconteceu quando eles ainda eram adolescentes e namoravam. Já depois a história engata, rápida sem correr, lenta sem entediar. As visões não ficam presas somente aos protagonistas, mas várias pessoas dão ação às páginas no decorrer do livro. Embora eu quisesse mais e mais de Amanda e Dawson, gostei dos vários pontos de vista. 

Eu chorei muito. O melhor de mim emociona o leitor, Nicholas Sparks só prova mais uma vez o quanto pode ser cruel - porém, dessa vez, a crueldade funcionou para mim, me fez rever alguns conceitos e entendi em parte o autor ao fazer o que fez. Amei o livro, é muito lindo, bem escrito, bem desenvolvido. Estou até com medo de pegar um próximo livro do Nicholas e me decepcionar, já que agora o autor tá na estimativa lá em cima comigo. Não preciso nem dizer que eu super recomendo, né?
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

PS: 50º livro do ano!!!!!!!!!!!

28 de mar de 2012

Review: Seda Liso Perfeito e Sedoso

Já faz um tempinho que eu recebi para o review os produtos da nova linha da Seda Liso Perfeito e Sedoso - certo, agora não é mais tão nova assim, mas na época era, para vc ver o quanto eu estou atrasada com esse post, sorry =/

Tenha um cabelo perfeitamente liso e sedoso direto do chuveiro. A fórmula de Seda Liso Perfeito e Sedoso possui a inovadora tecnologia Seladora de Lisos, que atua na fibra capilar para limpar os resíduos, mantendo o cabelo alinhado enquanto ele seca. Contém filtro UV.
*PS: O resultado é baseado no meu cabelo: liso, com volume, sem química e tendência e ficar oleoso da noite para o dia.
Vamos por partes:
  • Limpeza:
Pequeno problema de bipolaridade capilar: quem nunca? Enquanto a raiz fica oleosa de um dia para o outro, as pontas parecem secas. O shampoo segurou a oleosidade dos fios por um dia inteiro, depois... 
  • Hidratação:
Já as pontas perderam um pouco do aspecto quebradiço, realmente ficaram mais hidratadas. O cabelo ficou mais brilhoso e macio, além do cheirinho bom (não consegui identificar, é cheiro de produto de cabelo mesmo). 
  • Liso?
Eis aí a parte mais aguardada... Não sei por que, quando se fala em shampoo para cabelo liso, as pessoas acham que existe um elemento que dá efeito chapinha nos fios - meu bem, isso não existe. Infelizmente. Sim, os fios ficaram mais lisos, mas não perderam o volume. Na verdade, quem tem os fios já escorridos, é até legal que o produto dê um pouco mais de vida aos fios, já quem quer eliminar de vez o volume (oi? eu?) não viu uma grande diferença nesse quesito. 
  • Resultado final:
Gostei bastante do produto. O cabelo ficou bonito, hidratado, brilhoso e bem solto. Talvez até demais. Ele deixa os fios lisos, mas não tira o volume - o que acabou dando um pelo outro. O dia que inventarem o produto com fórmula que tira completamente o volume, me avise! E o do efeito chapinha também.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

RESULTADO: Qual seu número?

Sem enrolação (viu, sem enrolação mesmo), quem levou o kit Qual seu número de Karyn Bosnak (Resenha) para casa e vai poder ler abafada com um café do lado nesse frio, foi...

Elaine Machado

Parabéns! Você tem até as 15h de sábado, 31, para enviar seu endereço completo para poderosas.e.femininas@hotmail.com ou clicando aqui. Se você não ganhou essa, ainda tem uma pilha de promoções para entrarem no ar - é só esperar até sábado completar 1300 seguidores seguir acompanhando!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

27 de mar de 2012

Conselhos amorosos de Emily Brontë por Anne Donovan

Conselhos amorosos de Emily Brontë

Não existe tédio da família O’Connell. Fiona, entre seu irmão quieto e suas irmãs gêmeas maldosas não consegue ver graça em sua vida. Mas sua rotina está prestes a mudar para sempre. Em apenas um dia sua família passará por situações devastadoras, trazendo mudanças, novos relacionamentos e verdades. Sempre com a mente em sua ídola, Emily Brontë, Fiona agora precisa tomar decisões que mudarão a sua vida. 

Autora: Anne Donovan
Editora: Essência
ISBN: 9788576658061
Páginas: 351
Nota: 

Eu nunca li nada de Emily Brontë. Claro, sei quem ela é e o que escreveu, mas O morro dos ventos uivantes nunca chegou a entrar na minha lista de desejados, provavelmente por causa do meu tédio em relação aos clássicos (não me julgue!). Eu não tinha expectativas muito altas quanto a Conselhos amorosos de Emily Brontë, e foi uma total surpresa quando fui ganhada pelo livro logo na segunda página. 

O livro é sobre o amadurecimento de Fiona, que perdeu a mãe e tem que assumir as rédeas da casa depois de seu pai começar a descontar toda a tristeza na bebida. Patrick, seu irmão mais velho, vai para Londres cuidar da própria vida, e Fiona fica completamente responsável pelas suas irmãs mais novas. É tudo complicado, o namorado, a família, as escolhas e o futuro... Não dá para entrar para algum livro das irmãs Brontë e viver lá?

Fiona é uma protagonista interessante, e realmente me identifiquei com essa parte bookaholic dela - com a pequena diferença que eu não faço pão com um livro na minha frente. Tá, tudo bem, eu não sei fazer pão, para começo de conversa. Entretanto, o amadurecimento precoce e forçado que ela foi obrigada a passar com a morte da mãe, serviu de desculpa para alguns de seus atos que poderiam ser obviamente evitados. É uma protagonista com altos e baixos - o que faz dela humana.

Em momento nenhum eu imaginei que a história fosse para o rumo que foi. Certo, algumas coisas que Fiona faz são bem previsíveis, você para e pensa: você não deve fazer isso, mas meia página depois está ali: ela fez. Mas a autora conduziu bem, e soube colocar a história nos trilhos de novo, sem precisar enlouquecer e se perder.

A narrativa de Anne é bem doce, fluida e interessante. Ela soube colocar pontos importantes e dramáticos na hora certa, dosando bem, com uma protagonista capaz de fazer todo esse drama acontecer e tocar o leitor, conseguindo, por fim, passar uma mensagem, uma lição. As referencias para O morro dos ventos uivantes são bem sutis e não deixam alguem que não leu, como eu, ficar boiando na história.

Conselhos amorosos de Emily Brontë é um livro muito bem escrito, a autora soube colocar personagens, dramas, lições e reviravoltas muito bem, mas ainda precisa de um quê a mais para mexer comigo. Gostei, claro, mas não é está na lista dos melhores do ano. Porém, eu recomendo - Fiona é querida, Anne é boa escritora e Jas é muito amor com seu espirito humanitário.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

26 de mar de 2012

Jogos Vorazes


Título Original: The Hunger Games
Gênero: Ação, Ficção Cientifica
Duração: 142 minutos
Estréia EUA: 23/03/2012
Estréia Brasil: 23/03/2012
Estudio: Color Force
Direção: Gary Ross
Produção: Jon Kilik, Nina Jacobson, Suzanne Collins

Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando , com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes.

É, eu assisti Jogos Vorazes. Sabe a euforia de poder dizer que viu o filme que você tanto esperou, que você sonhou por cinco noites seguidas e em todas acontecia algo que impedia de ver? Sim, eu passei por isso. Eu me torturei com os trailers, chorei com a trilha sonora, e não vi nenhuma cena antes do filme (o trailer não conta como cena, ok?!). Eu sabia que Suzanne Collins tinha sido roteirista. Eu sabia que adaptações não são melhores que os livros (com a unica exceção de A Fera). Jogos Vorazes é muito, muito bom - porém é inegável dizer que eu esperava mais. 
No geral, é bem fiel ao livro. A produtora conseguiu representar muito bem a essência perturbadora do Distrito 12, a pobreza, e o poder da Capital sobre Panem. Outra coisa muito interessante foi que no filme temos a visão dos organizadores dos Jogos Vorazes, discussões entre Seneca e Presidente Snow que desde o inicio se mostrou preocupado com a influencia corajosa e petulante de Katniss. Destaque para a cena do desfile dos participantes dos Jogos.
O trabalho dos atores foi espetacular. Jennifer Lawrence foi uma ótima Katniss, conseguiu captar com maestria a essência da personagem e levar para a telona. Eu gostei do Josh Hutcherson como Peeta, ele me surpreendeu muito (ainda tenho o garotinho de ABC do Amor na cabeça quando penso nele, mas ok), realmente senti a química entre os personagens. Gente, tem como amar? E o Josh rindo? Não gostei do Lenny Kravitz como Cinna, que é meu terceiro personagem favorito na trilogia. O cara é cantor, não ator, e isso ficou bem óbvio para quem assistiu o filme, ele não passa emoção nenhuma. Mas quem realmente roubou a cena foi Haymitch, se destacando em qualquer dois segundos que aparecia.
Acho que fizeram escândalo demais pela quantidade de sangue que teria no filme. Primeiro: é Jogos Vorazes, você queria o que? Arco íris e unicórnios? Segundo: Classificação etária existe por um motivo, e mesmo assim, tem muito filme bem mais cruel com censura menor. De qualquer modo, Jogos Vorazes não é muito sanguinário não. Sim, existem as mortes, os corpos e o sangue, mas as cenas da Cornucópia, que foram cortadas no Reino Unido, poderia ser bem mais sangrentas. Não foi.
Me pergunto o que aconteceu com a trilha sonora... Depois de tanto chorar escutando Safe and Sound, me deparo com um filme sem Safe and Sound. Sabe o quanto isso foi triste? Eu nem chorei (embora acredito que o motivo tenha sido o frio cortante da sala de cinema e a dublagem). São quase duas horas e meia de filme e nenhuma música - só a dos créditos. Por que isso?
Jogos Vorazes foi ótimo, mas o livro ainda é 362732 vezes melhor, mas frustrante e melhor jogado. Quero ver de novo, legendado dessa vez, e só então vou poder dizer que realmente vi o filme (Katniss com voz de sessão da tarde é muito sofrível). Agora é surtar por Catching Fire, comprar o DVD versão estendida do colecionador, e poder dizer para quem quiser ouvir que você conheceu Jogos Vorazes antes da modinha que está por vir. 
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

RESULTADO: Um Homem de Sorte

Enquanto ainda faltam poucos dias para a estreia de Um Homem de Sorte nos cinemas (quem quer ver o Zac Efron? *-*), sai aqui o resultado do sorteio do kit (Resenha). E quem ganhou foi...

Thales Eduardo da Silva dos Santos

Parabéns! Por favor, envie seu endereço completo para poderosas.e.femininas@hotmail.com, ou se preferir, clicando aqui até as 15h de quinta-feira, 29. Se você não levou,  não desanime, não são poucas as promoções que estão por surgir. Lembrando que Qual seu Número? vai até amanhã, #corre!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

25 de mar de 2012

Essa Semana #26

Meme semanal hospedado pelo Lost in Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura.

Vem comigo na minha semana literária...


♥ Leitura do momento:
Conselhos amorosos de Emily Brontë - Anne Donovan
Tamanho 44 também não é gorda - Meg Cabot

♥ Li essa semana:
Fani na terra da Rainha - Paula Pimenta
O Circo da Noite - Erin Morgenstern

 Resenhei essa semana:

♥ Super Posts:
Lição de Estilo: Elizabeth Banks

 Ultima Compra: 
Case para iPhone... de novo.

 Desejo Comprar Urgentemente:

Alguma coisa com tordo. Ah, e um portal para alguma dimensão paralela que tenha cinema e livraria, e eu possa ler e ver todos os filmes sem culpa, para voltar para Terra sem ter passado um minuto e estudar o resto do tempo sem distrações. Onde acho?

Conversa imaginária com personagem fictício:
"Fala sério, Fani, quer que eu desenhe?"

Eu falaria para o autor:  

"Erin, ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ para você!"

 Estado de Espirito Literário:
Sem tempo de ler,  então sem tempo de se animar para ler.

Literary Crush: 
...

♥ Feito da Semana: 
ASSISTI JOGOS VORAZES! E aprendi a cantar Le Plus Beau du Quartier (Carla Bruni)!

♥Queria ver no Brasil:

O Peeta!

♥ Im in mood for... (gênero literário do momento):
Livro didático, só pode...

Hey Mr, Postman (ultima coisinha que chegou do correio):
Tamanho 44 também não é gorda, Tamanho não importa, Rainha da Fofoca, Rainha da Fofoca em Nova York, O Segredo de Emma Corrigan.

Super Quote:

"Jas não sabia o significado da palavra casual; tudo era importante para ele e, se não fosse importante, então por que falar a respeito? Por que fofocar se você pode discutir sobre o significado da vida, por que assistir a novela se você pode ler sobre a composição molecular dos polímeros?"
Conselhos amorosos de Emily Brontë - Anne Donovan - Página 31
 Vi e viciei (booktrailers, trailers, videos whatever):
Jogos Vorazes *----------------*
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

24 de mar de 2012

Sobrenatural por Cynthia Hand

Sobrenatural - Unearthly #1

Clara possui sangue angelical. Isso não só lhe dá poderes especiais, mas também implica o cumprimento de um propósito, que a leva a uma nova cidade. Lá, ela encontra Christian – o garoto de suas visões, com o qual se envolve –, mas fica dividida entre sua missão e uma paixão terrena por outro rapaz.

Autora: Cynthia Hand
Editora: ID
ISBN: 9788516060176
Páginas: 438
Nota: 

Se antes você chegava em uma livraria e só via séries de vampiro, hoje os anjos prevalecem. Os seres angelicais vivem seu ápice na literatura YA, cada vez mais e mais livros com essa mitologia. E a melhor parte, é que as história nunca seguem uma mesma linha de base - tirando que são anjos, claro. Cada autor cria sua história, coloca o leitor para dentro e faz acontecer. Mitologia de anjos é diferente da dos vampiros por, simplesmente, ser diferente entre si. E é isso que eu amo nelas! E é por isso que eu amei Sobrenatural.

Clara é filha de uma meio-anjo com um humano, ou seja, ela tem um quarto de sangue de anjo no corpo. Ela começa a ter visões de seu propósito, e então, junto de sua mãe e seu irmão mais novo, se muda para uma outra cidade. Ser a garota nova não é tão fácil, assim como ter sangue de anjo também não é. E quando as duas dificuldades se misturam?

A mitologia de Cynthia é bem inovadora e curiosa: cada meio-anjo ou um quarto de anjo tem um propósito na Terra, um motivo pelo qual nasceram. Chega um momento em que se descobre essa missão, e precisa cumpri-la de qualquer modo. E é essa a história principal de Sobrenatural. Só que o livro tem um quê a mais, não só uma simples história de anjos cheia de clichês.

Clara é uma boa protagonista, sabe tanto compreender sua realidade como sangue de anjo quanto duvidar de suas prioridades, do quanto sabe sobre esse mundo e do quanto está disposta a abandonar da normalidade para entrar de cabeça em uma missão que ela pouco conhece. Clara pode ter sangue sobrenatural, mas acima de tudo, ela é humana. Ela erra, acerta, duvida e ama.

O triangulo amoroso é ótimo! Eu fiquei em duvida por metade do livro, quando joguei todas as minhas fichas em Tucker ♥ Ele é irônico, inteligente e desperta o lado mais petulante de Clara, saindo da protagonista divertidas tiradas pouco angelicais. Já Christian é um bom garoto, fofo e difícil de compreender. Não quero influenciar ninguém, mas TEAM TUCKER COM CERTEZA!

Um livro maravilhoso, uma mitologia curiosa e ótimos personagens! Sobrenatural tem tudo que faz um bom livro sobre anjos e mais alguns detalhes originais que dão seu toque extra. Eu amei, e não vejo a hora de ter mais doses de Tucker no próximo volume. Se eu recomendo? Nem precisa perguntar, LEIA LOGO!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

23 de mar de 2012

Lição de Estilo #31: Elizabeth Banks

Aproveitando que hoje é a estreia de Jogos Vorazes nos cinemas em todo mundo (desconsidere o fuso horário), resolvi montar um Lição de Estilo especial. Não, não é Jennifer - ela teve um amadurecimento de estilo muito grande ultimamente, mas não tem material para um get the look... Então escolhi Elizabeth Banks, a Effie! Além de ter um dos melhores figurinistas para Red Carpet (Cinna é você?), ela sempre dá um toque a mais nas produções de todos os dias. Vale se inspirar!
A moda das blusas bem compridas sobre as calças estava meio sumida, mas essa pode ser a volta. A de Elizebeth é bem simples, marrom com listras em verticais que variam entre laranja e preto. A calça jeans preta é bem básica, assim como as acessórios em variações de tons neutros: a bolsa bege, peep toe caramelo e cinto preto. Acho chique!
Sim, é Elizabeth. Morena! prefiro loira O look é a cara do verão! O vestido com estampa liberty brinca nos tons de lilás e azul acinzentado que fazem parecer uniforme. A bolsa rosa dá um toque mais juvenil, achei fofinha! O cinto marcou a silhueta, deixando ainda mais feminino. Agora eis ai a espadrille mais linda que já vi na vida? *-----* Fez toda a diferença no look, é básica, vai com tudo... Onde acho? ♥ 
Eu não gostei muito do look, mas AMEI essa jaqueta! O couro tem uma textura que lembra píton, o caramelo foge do óbvio preto, além da modelagem com zíper lateral... Quero, quero, quero! O resto do look tá ok, só não combinou essa sandália de tiras... Uma ankle boot ficaria bem melhor.
O jogo desse look está no mix de estampas - bem discreto, afinal, é a mesma estampa: listras, só que em cores e tamanhos diferentes. A da blusa é o básico preto e branco a la Chanel, já o cardigã tinha uma pegada etnica com as listras coloridas no fundo bege. O jeans e a bota são mega básicos...
Quem não ama? O look seria total black, se não fosse pelo vestido em tons de vermelho e rosa. Amei a sapatilha super baixinha e a jaqueta de couro meia manga... Aliás, esse truque de usar meia calça opaca e sapatilha da mesma cor alonga a silhueta, principalmente se for preto.
Agora que vai vir o inverno, sempre tem aquela duvida do que usar numa situação mais formal. Essa é uma ótima opção. Elizabeth escolheu um vestido preto de veludo, acinturado e com babados na barra. O blazer com influencia militar deu uma modernizada, e os acessórios pretos são super básicos. Além de que total black é a cara do frio!
Tão pin up! Repare: a monocromia de vermelho e preto era tão grande que até o Louboutin combinou! Quem pode, pode. O modelo é bem simples, fundo preto com poá vermelho, o busto com estampa mais pequena enquanto a saia estava maior. Já disse que amei o scarpin?
Não sou fã de calças sociais (Campanha: Use saia lápis, ninguém fica bem com calça social!), mas ignorei essa. Why? O casaqueto extremamente Chanel, o cinza combinando com o maxi colar prata, combinando com as tiras da sandália. Não sou muito a favor do combinadinho certinho e regradinho, mas esse ficou legal e sutil.
Eu gostei desse vestido, mas tem que rever alguns detalhes. A estampa que brinca em tons de azul e verde sobre o preto é bem abstrata e moderna, phyna. O decote não me incomodou, já que normalmente não gosto quando é generoso demais. O probleminha? A saia. Eu adoro mullet, fendas, comprimento mini - mas aí não funcionou. Os plissados pelo joelho teriam ficado muito mais ryco.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa